Bancos estrangeiros no Brasil: um agente urbano

Sandra Lúcia Videira

Resumen


O território na sociedade capitalista vem sendo gerido cada vez mais por corporações multilocalizadas e multifuncionais, e o sistema financeiro é, de longe, peça fundamental para representar e compor esse mosaico da sociedade moderna. Em consonância com esta pretensão, foi selecionado o banco estrangeiro Santander, cuja disseminação por vários países e, principalmente pela América Latina, presta-se bem a uma investigação de sua distribuição espacial no território brasileiro, procurando desvendar suas formas de gestão do território. Iremos na direção de entender a disseminação espacial dos bancos estrangeiros, no território brasileiro, para compreendermos porque viria ele a escolher determinadas localizações ou se remanejar, a partir de novas lógicas locacionais, definindo assim, a dinâmica econômica de um dado território e, ainda, os modos de gestão das grandes corporações multilocalizadas.

Palabras clave


bancos estrangeiros; agentes urbanos; Santander

Texto completo:

HTML (Português)


DOI: https://doi.org/10.1344/sn2005.9.924

Copyright (c)

RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona