Políticas espaciais de requalificação urbana na área central do Rio de Janeiro: nova estética da desintegração local e espetáculo da projeção global

Julio Cesar Ferreira Santos

Resumen


Diversas cidades implementaram em suas Áreas Centrais intervenções pós-fordistas buscando requalificação urbana através de recentralização econômica. No Rio de Janeiro, essas políticas espaciais do Estado pretendem transformar o Porto em um pólo multifuncional e integrá-lo à dinâmica do Núcleo Central. Este trabalho analisa tal estratégia através das duas últimas reestruturações capitalistas para compreender a atual organização espacial da Zona Periférica do Centro e as conseqüências da revisão de seus usos. Estuda a tentativa de localizar o Rio de Janeiro no grupo das metrópoles mundiais, assim como uma provável desterritorialização dos moradores devido às novas funções e símbolos. Finalmente, evidencia-se a inter-relação da requalificação com a formação de cidades-espetáculo, metrópoles com uma nova estética afirmadas pelo complexo cultural e turístico. Para integrar o Porto, a fragmentação do espaço urbano é enfatizada, subordinado à lógica do capitalismo contemporâneo.

Palabras clave


Requalificação Urbana; Recentralização; Cultura; Turismo; Metrópoles Mundiais

Texto completo:

HTML (Português)


DOI: https://doi.org/10.1344/sn2005.9.959

Copyright (c)

RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona