551. Lançando linhas imaginárias: metageografias da Ásia nas descrições geográficas e na cartografia portuguesa do século XVI

Francisco Roque de Oliveira

Resumen


Uma das principais consequências do restabelecimento de contactos regulares entre a Europa e a Ásia a partir do início do século XVI consistiu na redefinição das grandes estruturas espaciais pensadas para organizar a distribuição dos espaços asiáticos. Trata-se de um exercício de projecção simbólica e ideológica que começou por ser estruturado através dos agentes e das redes do império português da Ásia, tendo tido uma duradoura influência sobre o modo como foi moldada a percepção espacial desta parte do Mundo Antigo. Para a nossa leitura seleccionámos algumas das mais significativas sínteses geográficas portuguesas do século XVI sobre a Ásia, confrontando-as, depois, com outras fontes textuais europeias e com um conjunto de mapas coevos, particularmente portugueses. Trata-se de examinar de uma questão central de geografia cognitiva, que interpela directamente as relações existentes entre a herança cultural subjacente às sucessivas representações geográficas e os contextos geopolíticos que as enquadraram.

Palabras clave


Metageografia, Ásia, Portugal, descrições geográficas, cartografia antiga, geopolítica, século XVI

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: https://doi.org/10.1344/sn2016.20.17330

Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona