The internationalization of WEG

Alexandre Saes, Guilherme Grandi, Fábio Moraes

Abstract


Although there are a considerable number of research papers dedicated to understanding the WEG internationalization process, we believe that the existing case studies are still extremely restricted to the counterpoint of the institutional narrative and international theories of internationalization. Our perspective, on the other hand, points in the direction of assessing the company’s trajectory within the political economy of the sector. That is, it is not possible to analyze the process of transformation of a company over decades without understanding the institutional aspects of the whole sector and of the national policy that regulates and foments it, as well as the transformations in the international economy, in general. In this sense, this paper seeks not only to present WEG's trajectory based on the company’s internal strategies and innovations, but also to relate these characteristics to the Brazilian institutional environment, especially during the military government, which seems to have been decisive both for the rise of the group nationally and for its later entry into the international market.


Keywords


WEG Electric Motors; Internationalization; Brazil

Full Text:

PDF

References


Almeida, Mansueto de. 2013. “Padrões da política industrial: a velha, a nova e a brasileira.” In O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate, edited by Edmar Bacha and Monica de Bolle, 273-293. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Amsden, Alice. 2001. The Rise of “the Rest”: challenges to the West from Late-Industrializing Economies. New York: Oxford University Press.

Baer, Werner, Fonseca, Manuel and Joaquim Guilhoto. 1987. “Structural Changes in Brazil’s Industrial Economy, 1960-80.” World Development 15 (2): 275-286.

Bonelli, Regis and Pedro Malan. 1976. “Os limites do possível: notas sobre balanço de pagamentos e indústria nos anos 70.” Pesquisa & Planejamento Econômico 6 (2): 353-406.

Bulmer-Thomas, Victor. 2014. The Economic History of Latin America since Independence. 3rd ed. New York: Cambridge University Press.

Cachapuz, Paulo Brandi (Coord.). 2006. Panorama do setor de energia elétrica no Brasil. Rio de Janeiro: Centro de Memória da Eletricidade no Brasil.

Coutinho, Luciano and João Carlos Ferraz (Coords). 1994. Estudo da competitividade da indústria brasileira. Campinas-SP: Papirus.

Coutinho, Luciano. 1995. Grupos Econômicos da Indústria Brasileira e a Política Econômica: Estruturas, Estratégias e Desafios: WEG. Campinas-SP: FUNDAP/FECAMP/UNICAMP-IE.

Dalla Costa, Armando and Michel Marson. 2014. “A internacionalização de empresas brasileiras de bens de capital: o caso da Romi e da Weg”. CLADHE IV.

Erber, Fabio Stefano. 1974. Absorção e criação de tecnologias na indústria de bens de capital. Rio de Janeiro: Finep.

Evans, Peter. 1982. A Tríplice Aliança. As multinacionais, as estatais e o capital nacional no desenvolvimento dependente brasileiro. Rio de Janeiro, Zahar.

Faucher, Philippe. 1982. “A empresa pública como instrumento de política econômica”. Revista de Economia Política 2/2 (6): 79-105.

Floriani, Eliete, Felipe Mendes Borini, and Maria Tereza Leme Fleury. 2009. “O processo de internacionalização como elemento gerador de capacidades dinâmicas: o coas da WEG na Argentina e na China.” Revista Brasileira de Gestão de Negócios 11 (33): 367-382.

Fishlow, Albert. 1996. “A economia política do ajustamento brasileiro aos choques do petróleo: uma nota sobre o período 1974/84.” Pesquisa & Planejamento Econômico 16 (3): 507-550.

Fonseca, Pedro C. D., Sergio Monteiro M. M. 2007. “O Estado e suas razões: o II PND.” Revista de Economia Política 28,1 (109): 28-46.

Fonseca, Sônia T. D., Léo Bruno. 2009. Eggon João da Silva: ideias e caminhos: a tragetória de um dos fundadores da WEG. Rio de Janeiro: Elsevier, Belo Horizonte: Fundação Dom Cabral.

Goularti Filho, Alcides. 2016. Formação econômica de Santa Catarina. Florianópolis: Ed. da UFSC.

Hausmann, Ricardo, and Dani Rodrik. 2003. “Economic Development as Self-Discovery.” Journal of Development Economics 72:603-633.

Hirschman, Albert. 1968. “The Political Economy of Import-Substituting Industrialization in Latin America.” Quarterly Journal of Economics 82 (1): 1-32.

Lago, Luís Corrêa do, Fernando Lopes de Almeida, and Beatriz M. F. de Lima. 1979. A indústria brasileira de bens de capital: origens, situação recente e perspectivas. Rio de Janeiro: IBRE/FGV.

Leff, Nathaniel. 1968. The Brazilian capital goods industry, 1929-1964. Cambridge: Harvard University Press.

Lessa, Carlos. 1975. Quinze anos de política econômica. São Paulo: Brasiliense.

Lima, José Luiz. 1995. Estado e desenvolvimento do setor de energia elétrica: do Código das Águas à crise dos anos 80 – 1934-1984. Rio de Janeiro: Memória da Eletricidade.

Macario, Santiago. 1964. “Protectionism and Industrialization in Latin America.” Economic Bulletin for Latin America 9: 61-101.

Melo, Germana Tavares de. 2010. “A reconfiguração dos recursos ao longo do processo de internacionalização de empresas: um estudo de caso na Weg S.A.” Master diss., UFRGS.

Moraes, Jayme. C. de. 2004. “A Trajetória de Crescimento da WEG: A Folga de Recursos Humanos como Propulsora do Crescimento da Firma.” Master diss., Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Moretti, Gilmar Antonio. 1988. “Subsídios para a história econômica de Jaraguá do Sul. Jaraguá do Sul”. Undergraduate diss., Universidade do Estado de Santa Catarina.

Musacchio, Aldo and Sergio G. Lazzarini. 2014. Reinventing State Capitalism: Leviathan in Business, Brazil and Beyond. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press.

Predebon, Eduardo Angonesi. 2010. “Internacionalização e integração econômica. O caso da WEG S.A.” PhD diss., UFPR.

Rocha, Isa de Oliveira. 2004. “O dinamismo industrial e exportador de Santa Catarina.” PhD diss., FFLCH/USP.

Rodrik, Dani. 2007. One Economics, Many Recipes. Globalization, Institutions, and Economic Growth. Princeton, New Jersey: Princeton University Press.

Sasse, Carla Müller. 2015. “Capital estrangeiro e energia elétrica no Brasil: estudo sobre as empresas fornecedoras de equipamentos para o setor elétrico.” Master diss., FFLCH/USP.

Sasse, Carla Muller, and Alexandre Saes. 2016. “A Eletrobras e as empresas fornecedoras de equipamentos para o setor elétrico brasileiro (1960-1980)” Revista de História 174:199-234.

Schörner, Ancelmo. 2006. “A pedra, o migrante e o morro: feridas narcísicas no coração de Jaraguá do Sul/SC - 1980/2000”. PhD diss., Universidade Federal de Santa Catarina.

Serra, José. 1984. “Ciclos e mudanças estruturais na economia brasileira do pós-guerra.” In Desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise, edited by Luiz Gonzaga Belluzzo and Renata Coutinho, 69-138. São Paulo: Brasiliense.

Silva, Marcos Aurélio da. 1997. “Desenvolvimento e competitividade das firmas de equipamento elétrico do nordeste catarinense.” Anais do Congresso de História e Geografia de Santa Catarina. Florianópolis-SC: 480 - 491.

Silva, Bárbara, Djali Valois, Dóris Dávi, Eduardo Sartori, Ettyenne Guimarães, and Manuela Jorge. 2010. “Estratégias de internacionalização da Eletromotores WEG SA.” Paper presented at the II Seminário de Pesquisa Interdisciplinar, Universidade do Sul de Santa Catarina, Brazil, May 18-20.

Strachman, Eduardo. 1992. “Estrutura de mercado, competitividade e políticas para as indústrias internacional e brasileira de bens de capital sob encomenda para o setor elétrico.” Master diss., Unicamp.

Tadini, Venilton. 1986. O setor de bens de capital sob encomenda: análise do desenvolvimento recente (1974/83). São Paulo: IPE/USP.

Ternes, Apolinário. 1997. Weg: 36 anos de história. Joinville: Weg.

Valente Junior, Luiz Carlos. 2016. “A evolução das exportações e importações das empresas catarinenses.” Cadernau 9 (1): 116-134.

Vegini, Genésio, L., André L. Leite, and Gabriela Gonçalves Fiates. 2011. “Desempenho competitivo da WEG: uma análise à luz da adaptação estratégica.” Contextus: Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 9 (2): 39-53.

Vidigal, Allan. 2011. WEG 50 anos. São Paulo: DBA.




DOI: http://dx.doi.org/10.1344/jesb2018.2.j047

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Contact: jesb@ub.edu

Indexed in:

DOAJ, ERIH PLUS, Dialnet, Latindex, Google Scholars, RACO, MIAR, ROAD

RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona