569. A criação de geoetnografias como metodologia para o estudo dos ritmos urbanos. Uma aplicação no Chiado, Lisboa

Daniel Paiva, Herculano Cachinho, Teresa Barata-Salgueiro, Anselmo Amílcar

Resumen


A literatura atual sobre ritmos urbanos divide-se entre abordagens que procuram quantificar e determinar padrões rítmicos em espaços urbanos e perspetivas qualitativas que procuram qualificar a fluidez rítmica da cidade e observar a ecologia dos ritmos humanos, sociais e urbanos. De modo a aproximar estas duas perspetivas, apresentamos o uso de geoetnografias como meio de combinar uma visão de cima com uma visão a partir do terreno que permite analisar os padrões espácio-temporais sem os reduzir a um estado de stasis. A partir de um estudo realizado entre 2012 e 2016 na área do Chiado, em Lisboa, mostramos como a criação de uma geoetnografia nos permitiu compreender os ritmos urbanos no Chiado em profundidade.


Palabras clave


geoetnografia, ritmos urbanos, geografia cultural, espaço público

Texto completo:

PDF
RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona