Cidades ocupadas: Securitização, biopolítica e controle social no contexto da cidade globalizada na sociedade brasileira.

Luana Gusso, Carlos Henrique Serra, Luís Antonio Souza

Resumen


O presente artigo pretende, a partir de uma análise crítica do processo atual de militarização da segurança na sociedade brasileira, refletir sobre as ambivalências de um modelo de segurança pública-privada. Para realizar este intento, considera tanto a tese da militarização como estado de exceção, como a tese da patrimonialização dos espaços urbanos por meio da disseminação da lógica privada na segurança pública. Sendo assim, as duas tendências analíticas convergem quando pensamos a norma soberana que converge para espaços territoriais. De fato, as cidades globais estão sob o impacto crescente da maior importância que se atribui às coisas do que às pessoas e, estas, passam a ser tratadas como coisas. A partir de uma revisão bibliográfica, o artigo busca problematizar estes debates em torno da biopolítica de Michel Foucault como conceito mobilizador de uma gestão urbana tanto de coisas quanto de pessoas.


Texto completo:

PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


OSPDH - Universidad de Barcelona - Av. Diagonal , 684 Despacho 1, Aula 23, 08034 - Barcelona Telf.: +34 934039672 Fax.: +34 934021067

Si no se indica lo contrario, todos los contenidos de esta revista están bajo licencia Licencia Creative Commons

RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona