Em torno das cidades: Urbanismo e Secas no Nordeste do Brasil, 1900-1920

Angela Lúcia de Araújo Ferreira, George A. F. Dantas, Anna Rachel B. Eduardo

Resumen


É inegável a importância que os engenheiros, sobretudo politécnicos, desempenharam como agentes do processo de modernização urbana de muitas cidades brasileiras na virada para o século XX, como Henrique de Novaes, Saturnino de Brito e Aarão Reis. No Brasil foram fundamentais para a estruturação e para a consolidação do saber e da prática do nascente urbanismo moderno. No Nordeste do país, o ciclo de grandes secas desse período, e seus desdobramentos sociais e econômicos, colocou novos problemas para pensar (e intervir sobre) a realidade urbana de então. Estas novas questões e o significado da representação técnica da cidade formulada nesse contexto, em meio às questões sobre o território, a relação entre campo e cidade e a formação de uma rede urbana viável, é o que se pretende analisar neste artigo. Para tanto, serão discutidos alguns dos elementos teóricos que fundamentam essa representação, contribuindo para a compreensão das especificidades da formação do urbanismo como disciplina no Brasil.

Palabras clave


saber técnico; investigação do território; formação profissional; engenharia

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona