Construindo e desfazendo territórios: As relações territoriais entre os Paresi e os não-índios na segunda metade do século XX

Roberta Carvalho Arruzzo

Resumen


O território Paresi, no Centro-Oeste brasileiro, se modificou profundamente a partir da intensificação de suas relações com os não-índios, na segunda metade do século XX, como parte das ações para ocupar este imenso “espaço vazio”. Procurou-se, primeiramente, estabelecer como era o território Paresi no início do século XX e como este território foi parcialmente desarticulado devido às relações estabelecidas com as frentes extrativistas e as Linhas Telegráficas. A partir da década de 60, com os projetos de desenvolvimento e ocupação governamentais, ampliou-se a presença de atores não-índios na Chapada dos Parecis. Ocorreu, a partir daí, a imposição de territorialidades baseadas na linearidade dos limites e na exclusividade do uso dos recursos. Ações e acontecimentos em escalas distintas foram delineando uma nova territorialidade Paresi, em contraponto a dos atores não-índios, baseada na presença de limites lineares e definida com base em uma série de ações legais estranhas aos povos indígenas.

Palabras clave


povo Paresi; territorialidade; território; Chapada dos Parecis

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona