Tecnificação dos territórios rurais no Brasil: políticas públicas e pobreza

Celso Donizete Locatel

Resumen


O aumento da densidade técnica dos territórios, usados para a prática da agropecuária no Brasil, foi viabilizado, a partir da década de 1960, tendo em vista uma série de elementos incorporados ao território na fase anterior, como as políticas setoriais, que favoreceram segmentos agrícolas, possibilitando maior acumulação de capitais neste setor; além do mais, um mercado de máquinas com grande demanda; mudanças nas práticas agronômicas e incorporação de novas tecnologias até então importadas; aumento da demanda de produtos agrícolas no mercado externo e de matérias-primas no mercado interno; e uma reestruturação política e econômica a partir do pós-guerra, consolidada com o golpe militar no Brasil. Este trabalho tem como objetivo analisar a densidade técnica das atividades agrícolas e a manutenção da pobreza nos territórios rurais, em especial na região Nordeste brasileiro. As transformações observadas na agricultura brasileira, que teve o Estado como principal agente dinamizador, beneficiaram principalmente os grandes e médios produtores, que exploravam produtos de exportação e matérias-primas para as agroindústrias e se concentraram principalmente na região centro-sul, enquanto que a pobreza se agrava e se concentra nas regiões Nordeste e Norte do país. Para se atingir os objetivos desse trabalho realizou-se a análise da densidade técnica da agricultura brasileira, seguida de discussão sobre a permanência da pobreza nas áreas rurais.

Palabras clave


território; técnica; pobreza rural; Brasil

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona