Brasília meta-síntese do poder no controle e articulação do território nacional

Everaldo Batista da Costa, Valdir Adilson Steinke

Resumen


O pensamento sobre um país marcado pela ideologia espacial, que identifica o território da nação no cerne de uma exclusividade classista de poder, exige referências cruzadas sobre os sentidos atribuídos à modernização, ao desenvolvimento e ao Estado. Assim, o escopo mais amplo deste estudo corresponde ao poder no controle e articulação territorial, em escala nacional; o caráter do poder analisado é o do Estado brasileiro e suas estratégias espaciais. Logo, objetiva-se avaliar a construção de Brasília (nova Capital política e administrativa), como expressão material-simbólica estratégica do poder para o controle e a articulação do território nacional; poder que ganha ímpeto a partir de 1956 e se perpetua. Metodologicamente, trata-se de quatro aspectos conexos: o Brasil desenvolvimentista e o Estado demiurgo da sociedade; o Plano de Metas do presidente Juscelino Kubitscheck enquanto proposta de um poder tentacular com a meta-síntese Brasília; uma cartografia sintética das infraestruturas do controle territorial da nação; e as singularidades efetivas do poder constitutivo do Estado-nacional brasileiro. Vislumbra-se o poder do discurso e das ações pela integração espacial escalar macro, que apresenta o binômio transportes e energia como possibilidade efetiva da integração social brasileira, o que perfaz o paradoxo deste poder.

Palabras clave


Brasília; poder do Estado; controle e articulação territorial nacional

Texto completo:

PDF (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona