O trabalho feminino nas fábricas de conserva pescado: a permanência de uma exploração laboral

Susana Maria Veleda da Silva, Marcus Vinicius Spolle

Resumen


O trabalho na indústria de transformação do setor de alimentação é mundial e historicamente exercido por mulheres. A atividade está marcada pela posição que ocupam na sociedade patriarcal, (re)produzindo uma divisão sexual do trabalho oriunda das relações de gênero que as estigmatiza no mundo do trabalho remunerado. A situação das trabalhadoras das fábricas de conserva de pescado localizadas no município do Rio Grande, no sul do Brasil, representa na escala local uma situação universal de exploração do trabalho feminino. O artigo objetiva refletir sobre as discriminações e as estratégias de resistência deste coletivo de trabalhadoras através da perspectiva da geografia feminista. A pesquisa demonstrou que se por um lado as trabalhadoras estão submetidas às formas de exploração e preconceitos que dificultam processos de resistência coletivos. Por outro, o trabalho propicia autonomia econômica e aumento da autoestima que, paradoxalmente, perpetua a exploração laboral.

Palabras clave


trabalhadoras das fábricas de pescado; divisão sexual do trabalho; discriminação; resistência

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona