A construção de vilas operárias no sul do Brasil: o caso de Galópolis

Vânia Beatriz M. Herédia

Resumen


A construção de vilas operárias[1] tem como finalidade a imobilização da força de trabalho para o processo fabril, garantindo, através da sua disponibilidade, a reprodução da mesma. No final do século XIX e na primeira década do século XX, não era tarefa fácil contratar força de trabalho especializada para o trabalho industrial. Dessa forma, a existência de vila operária resolvia em grande parte a sistematização da força de trabalho, uma vez que a classe patronal, mantendo a vila com seus operários, reproduzia a força de trabalho dentro do ambiente fabril. Os filhos dos operários aprendiam o ofício com os próprios pais e, além da reprodução do próprio ofício, reproduzia-se à consciência coletiva existente na vila. Este estudo foi dividido em duas partes: a primeira trata de um breve histórico da vila operária de Galópolis e a segunda das políticas sociais adotadas pela indústria têxtil na manutenção dessa vila e os mecanismos utilizados para atrair força de trabalho.

Palabras clave


vila operária; condições de moradia; políticas sociais; retenção da força de trabalho

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona