Cooperativas habitacionais: do social ao mercado

Angela Lúcia de Araújo Ferreira, Maria Cristina de Morais

Resumen


Com a retirada do Estado na promoção da moradia através de cooperativas – sistema BNH/INOCOOPs –, surgiu no Brasil, início da década de 1990, uma nova modalidade de cooperativa habitacional, em um contexto de profunda regressão do financiamento público e agravamento do déficit habitacional. Desse modo, a produção cooperativada da moradia através do sistema de autofinanciamento emerge como uma alternativa para atender os excluídos dos mercados imobiliários tradicionais e da provisão pública, tendo como objetivo proporcionar aos associados o acesso à casa própria a preço de custo. Nos últimos anos, em decorrência do agravamento das restrições aos empréstimos bancários e financiamento estatal, a classe média tem encontrado nas cooperativas habitacionais autofinanciadas, a saída para a aquisição da casa própria. Portanto, se no passado estas cooperativas eram direcionadas para atender as famílias de média e baixa renda, mais recentemente, esse sistema cooperativado de produção da moradia vem privilegiando os segmentos de maior renda.

Palabras clave


habitação social; produção cooperativada; mercado imobiliário

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona