Os Guias de Turismo e a emergência do turismo contemporâneo em Portugal (dos finais do século XIX às primeiras décadas do século XX)

Ana Maria Cardoso de Matos, Maria Luísa F. N. dos Santos

Resumen


Nos últimos tempos as investigações realizadas em torno do turismo e das instituições promotoras desta actividade têm dado um âmbito mais lato a esta área de investigação. Por seu lado a utilização dos guias impressos enquanto fontes históricas têm aberto novas linhas de investigação. A forma como evoluiu o turismo em cada país tem sido objecto de estudos que incidem quer nos aspectos económicos relacionados com o desenvolvimento desta actividade, quer nos aspectos político-culturais associados à divulgação do país, quer ainda nas interligações entre o desenvolvimento do turismo e do património cultural. Inserindo-se numa literatura utilitária, os guias de viagem são um reflexo das alterações económicas, sociais, culturais e tecnológicas que ao longo do tempo foram sendo introduzidas nas viagens culturais ou de veraneio, que gradualmente passaram a ser realizadas por grupos sociais cada vez mais latos. A análise dos vários guias de turismo permite assim fazer uma abordagem a temas diversos. Se por um lado, os guias de viagem se podem ligar à história de arte e definem para cada momento histórico a noção de património, por outro ligam-se com a história económica ao estabelecerem interligações com os vários meios de transporte ou novas indústrias, que o desenvolvimento tecnológico e industrial foi colocando à disposição dos viajantes/turistas. Os guias foram também formas de apreensão do espaço, que contribuíram para a divulgação de novos lugares como as termas ou as praias e para a "construção" de imagens sobre as cidades ou o campo.

Palabras clave


Turismo; Guias de viagem; Sociedade de Propaganda de Portugal; Património Cultural

Texto completo:

HTML (Português)


Copyright (c)

RCUB RCUB Declaració ètica Avís Legal Centre de Recursos per a l'Aprenentatge i la Investigació Universitat de Barcelona