631. Natureza à venda: da ecopornografia a um modelo compreensivo de indicadores de greenwashing

Erico Pagotto, Marcos Bernardino de Carvalho

Resumen


As propagandas estão presentes hoje em praticamente todos os meios de comunicação, e nelas a recorrência de temas ambientais é cada vez mais notável. Estas chamadas “propagandas ambientais” são elementos importantes em estratégias de marketing que muitas organizações utilizam para demonstrar seu compromisso e suas ações em prol da natureza. Ainda assim, o meio ambiente nunca esteve sob tão forte pressão. Este aparente paradoxo pode ser explicado pela forma como empresas, governos e sociedade põem em curso seu modelo de desenvolvimento civilizatório. Esta reflexão a respeito do greenwashing procura analisar o que há de mentiroso, oportunista e cínico nas propagandas ambientais. Busca também discutir de que forma estes conflitos éticos ajudam a compor um cenário favorável à manutenção de valores culturais insustentáveis que dificultam a mudança para um novo paradigma.

Palavras-chave: propaganda ambiental, meio ambiente, marketing, mudança social

Palabras clave


propaganda ambiental; meio ambiente; marketing; mudança social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1344/sn2020.24.22685

Copyright (c) 2020 Scripta Nova. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.
RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona