244. A virada geopolítica no Brasil do século XXI observada a partir de telegramas diplomáticos vazados pelo Wikileaks

Gabriel Teixeira Barros

Resumen


A virada geopolítica que ocorreu no Brasil a partir de 2016, com o impeachment da Presidente Dilma Rousseff, se relacionou com a rede financeira de poder mundial. Este estudo pretende demonstrar tal fato, apresentando dados sobre a ascensão das políticas neoliberais no Brasil, nos anos 1990, e sobre a gradual ruptura política iniciada em 2003, com o governo de Luís Inácio Lula da Silva. Tal ruptura foi evidenciada nos grampos de telegramas diplomáticos estadunidenses e outros documentos disponibilizados pelo Wikileaks, por meio do posicionamento diplomático dos EUA sobre as disputas eleitorais brasileiras que ocorreram em 2010 e em 2014, a legislação de Exploração e Produção (E&P) das reservas de petróleo do Pré-sal, a cibervigilância interestatal e a criação do “Projeto Pontes”, anterior à Operação Lava Jato. Por meio de análise em documentos publicados pelo Wikileaks, é possível demonstrar como a política interna brasileira foi influenciada pelo uso de soft power, por agentes vinculados aos interesses geopolíticos estadunidenses, no período pesquisado.


Palabras clave


Brasil; petróleo; redes de poder; Wikileaks; cibervigilância

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1344/ara2020.244.31817
RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona