Dentes como Fonte de Células-tronco: uma Alternativa aos Dilemas Éticos

Autores/as

  • Mariana Rezende Machado
  • Rodrigo Grazinoli Garrido Universidade Católica de Petrópolis

DOI:

https://doi.org/10.1344/rbd2014.31.10439

Palabras clave:

células-tronco, biorrepositórios, biobancos, bioética

Resumen

As Células-Tronco têm sido objeto principal de estudo no campo científico da Medicina Regenerativa. Estas células, quando obtidas de embriões, podem se diferenciar em todos os tecidos, embora os métodos utilizados para sua obtenção necessitem lidar com dilemas éticos e legais. Em busca de alternativas às fontes de células-tronco, os dentes vêm ganhando espaço. Estes órgãos apresentam no tecido pulpar e estruturas adjacentes características fundamentais como, multidiferenciação e capacidade de autoduplicação, além de facilidade de acesso e obtenção. Este trabalho apresenta o conhecimento atual e as perspectivas sobre o uso das células-tronco de origem dentária com destaque para as de dentes decíduos esfoliados. Especial atenção foi dada às limitações legais e administrativas para o funcionamento dos Bancos de Dentes Humanos e Biobancos no Brasil, aspecto que se revelado o principal entrave para a difusão do uso de células-tronco de origem dentária.

Biografía del autor/a

Mariana Rezende Machado

Cirurgiã Dentista; Especialista em Odontopediatria e em Odontologia Legal; Rio de Janeiro/Brasil

Rodrigo Grazinoli Garrido, Universidade Católica de Petrópolis

Perito criminal, Director do Instituto de Pesquisa e Perícias em Genética Forense/DGPTC/PCERJ; Professor Adjunto da Universidade Católica de Petrópolis; D.Sc. Rio de Janeiro, Brasil.

Número

Sección

Sección General