A morte como o melhor interesse da criança: uma proposta a partir dos casos Charlie Gard e Alfie Evans

Autores/as

  • Maria de Fátima Freire de Sá
  • Lucas Costa de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.1344/rbd2020.48.28623

Resumen

Os recentes casos envolvendo a morte de crianças em razão da suspensão do suporte vital, mesmo com a oposição dos pais, demonstram a necessidade de um debate transdisciplinar sobre o conteúdo do princípio do melhor interesse da criança e a extensão dos poderes-deveres decorrentes da autoridade parental. Poderia a morte, em determinadas situações, representar o melhor interesse da criança? Partindo dos casos de Charlie Gard e Alfie Evans, este artigo tem por objetivo a busca de parâmetros para a tomada de decisões voltadas à terminalidade da vida infantil. Por meio de uma revisão bibliográfica interdisciplinar, buscam-se fundamentos para confirmar ou refutar a hipótese de que a morte pode ser configurada como o melhor interesse da criança em contextos específicos.

Publicado

2020-02-18

Número

Sección

Dossier monográfico