Testes genéticos preditivos: uma reflexão bioético jurídica

Autores/as

  • Fernanda de Azambuja Loch Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.1344/rbd2014.30.9912

Palabras clave:

Bioética, testes genéticos, consentimento informado, aconselhamento genético, dignidade humana, direitos de personalidade

Resumen

A possibilidade da realização de testes genéticos preditivos pode trazer novas perspectivas para a prevenção e tratamento de doenças. No entanto, apesar desses avanços, é necessária uma reflexão acerca dos aspectos negativos que podem surgir a partir do uso indiscriminado dessas tecnologias. Para que a realização dessas análises seja jurídica e eticamente adequada, é necessário observar os princípios bioéticos, através do aconselhamento genético e do consentimento informado; assim como o princípio jurídico da dignidade humana e os direitos de personalidade.

Biografía del autor/a

Fernanda de Azambuja Loch, Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Advogada. Especialista em Direito de Família pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Especialista em Bioética pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Publicado

2014-01-15

Número

Sección

Sección General