O aumento do numero de Estados e suas fragilidades internas

Arlete Moysés Rodrigues

Resumen


Este texto aponta características de alterações dos Estados-Nações, a reorganização política do espaço mundial, a importância do espaço/território, oculto pela globalização da economia. Mostra como se dá a fragmentação administrativa do espaço mundial com a “emancipação” de Estados e a estratégia política dos Estados capitalistas imperialistas. No período de 1945 a 2000 surgiram cerca de 100 novos Estados. Em 1945 havia cerca de 60 países, e no início do século XXI há cerca de 200 Estados nacionais, o que demonstra a importância dos Estados para o imperialismo capitalista que parece não prescindir dos territórios organizados sob a forma de Estados. A importância do Estado para garantir a reprodução ampliada do capital, é uma das metas do neoliberalismo que contraditoriamente apregoa o que o Estado tem que ser mínimo. Porém, ao adotar a agenda neoliberal, em especial quando se trata da privatização, aumentam as tarefas do Estado. É importante para a Geografia crítica analisar as contradições e conflitos que mostram a importância do espaço/território dos Estados-Nações e entender o controle de Estados imperialistas e de corporações multinacionais sobre o território de outras Nações.

Palabras clave


Estado-nación; imperialismo; neoliberalismo; territorio; espacio

Texto completo:

HTML


Copyright (c)

RCUB revistesub@ub.edu Avís Legal RCUB Universitat de Barcelona